Institucional

Instituto Popular Do Recôncavo - Ipr Bahia

Dados da OSC

Instituto Popular Do Recôncavo – Ipr Bahia
E-mail: contato@institutoreconcavo.org.br

1. REGÊNCIA LEGAL:

Esta seleção pública obedecerá às disposições da Lei federal no 13.019/2014 (alterada pela Lei no 13.204/2015), do Decreto no 17.091/2016, da Lei Complementar no 101/2000, da Lei federal 14.017/2020, do Decreto no 10.464/2020, do Decreto Estadual no 20.005/20 e da legislação pertinente.

O objeto da presente seleção encontra-se em consonância com o quanto previsto no Plano Plurianual Participativo – PPA 2020-2023 do Estado da Bahia, conforme Programa 302 – Cultura; Compromisso 03 – Salvaguardar a memória cultural e o patrimônio material, imaterial, histórico, artístico, documental e bibliográfico; Meta 4 – Promover a salvaguarda e a preservação de bens registrados, tombados e/ou patrimonializados; Iniciativa 12 – Realizar atividades de educação patrimonial; Iniciativa 14 – Realizar atividades culturais para salvaguarda e preservação inclusive de ritos públicos, festividades e celebrações populares; e Ações 1357 e 5521.

2. ÓRGÃO OU ENTIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA:

Secretaria de Cultura do Estado da Bahia – SECULT / Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia – IPAC.

3. PROCESSO ADMINISTRATIVO:

No: 022.2238.2020.0002323-74

4. FINALIDADE DA SELEÇÃO:

4.1 A finalidade do presente Chamamento Público é a seleção de OSCs visando à celebração de parcerias com o Estado da Bahia, por intermédio do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia – IPAC, para a consecução de finalidade de interesse público e recíproco mediante a formalização de Termos de Fomento, nos termos e condições estabelecidos neste Edital.

4.2 Serão selecionadas até 19 (dezenove) propostas, observada a ordem de
classificação e a disponibilidade orçamentária.

5. OBJETO DOS TERMOS DE FOMENTO:

O objeto dos Termos de Fomento consistirá na execução das propostas, de acordo com Plano de Trabalho, com fito a promover a preservação, salvaguarda, valorização, pesquisa, inventário, difusão, dinamização e estudos de normatização para o patrimônio cultural imaterial registrado e/ou em processo de patrimonialização pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), nos termos e condições estabelecidas nesse edital. O programa é uma relevante ação de fomento das manifestações culturais patrimonializadas e em processo de patrimonialização do nosso Estado, inserido nas Ações previstas no inciso III, do Art. 2o da Lei federal 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc, que dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública que tem como objetivo central estabelecer ajuda emergencial para artistas, coletivos e empresas que atuam no setor cultural e atravessam dificuldades financeiras durante a pandemia, difundindo e preservando o conjunto particular de manifestações culturais e seus respectivos grupos criadores. Ademais, conforme o Art. 19 do Decreto Estadual no 20.005/20, as propostas culturais a serem custeadas pela Lei Federal no 14.017, de 29 de junho de 2020, poderão abranger as expressões e os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação e à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade, nos termos do art. 3o da Lei no 12.365, de 30 de novembro de 2011.

Decreto Nª 17.816 de 17 de Agosto de 2017

O Governador do Estado da Bahia, no uso de suas atribuições, à vista do disposto na Lei nº 8.895, de 16 de dezembro de 2003, e no Decreto no nº 10.039, de 03 de julho de 2006, e considerando os elementos constantes do Processo nº 0607120034865, especialmente as propostas formuladas em dossiê e devidamente aprovadas pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia – IPAC e pelo Conselho Estadual de Cultura

Apoio Financeiro

O Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura (SecultBA), executou mais de R$ 98,6 milhões nos incisos I e III da Lei Aldir Blanc (LAB), pagos até o dia 31 de dezembro de 2020, ou empenhados para pagamento em 2021.
Cumprindo o Plano de Aplicação aprovado em setembro de 2020 pela Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo – MTur, a SecultBA lançou em 29 de setembro de 2020, o Programa Aldir Blanc Bahia. Foram abertos cinco editais de Premiação Aldir Blanc, dois de chamamento público e um de aquisição de bens (dezembro), em atendimento ao inciso III da LAB. Os certames estão sendo coordenados pela Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult) da SecultBa, pelo Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) e pelas unidades vinculadas: Fundação Pedro Calmon (FPC); Fundação Cultural do Estado da Bahia e pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac). Todos os recursos são via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Objeto De Parceria

O objeto da parceria consistirá na realização do projeto “Cultura, Tradições e Romarias nos Caminhos da Fé ”, visa a criação e publicação de  um livro cultural  e de vídeo book, que terá em seu conteúdo as entrevistas em formato de documentário, que irá incluso ao livro, que permitirá a promoção, a preservação, o fomento, a difusão, dinamização, fruição, fortalecimento  da escrita e da imagem, a valorização dos saberes, da história, da cultura popular, da Romaria, da Fé no Bom Jesus, proporcionando visibilidade dos fazeres culturais por meio do patrimônio imaterial do município de Bom Jesus da Lapa salvaguardando a memória  das manifestações  culturais.

Este projeto envolverá grupos, coletivos e afins, fomentando a cultura popular por meio das Romarias do Bom Jesus e a de Nossa Senhora da Soledade, salvaguardando a memória, o patrimônio material e imaterial, a promoção, valorização, pesquisa, possibilitando fomentar e difundir os saberes através da escrita, da imagem, da oralidade, e da perpetuação da cultura popular Lapense.

O projeto é uma relevante ação de fomento das manifestações culturais patrimonializadas, inserido nas Ações previstas no inciso III, do Art. 2º da Lei federal 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc, que dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública que tem como objetivo central estabelecer ajuda emergencial para artistas, coletivos e empresas que atuam no setor cultural e atravessam dificuldades financeiras durante a pandemia, difundindo e preservando o conjunto particular de manifestações culturais e seus respectivos Grupos criadores.

Créditos Pelas fotografias, documentos e informações históricas impressas sobre Bom Jesus da Lapa e por toda a disponibilidade, atenção, compromisso na realização dessa obra, agradecemos a:

João Paulo Lelis. Maria Assunção, Nilza Carneiro, Darcy Xavier, Professora Ivonildes, Professora Solange, Léo Costa, Iuri Lopes, Evilácio Guimarães, Edvaldo Júnior, Professor Geraldo Bastos, Foto Estrela (Edson e Juliane), Antônio Gomes, Sônia Linhares, Pe. Carlos Kaminsk, Laurinda Xavier, Lauro Cardoso (In Memoriam), Maria de Lourdes Moreira de Castro, Rita Bastos, Antônio Barbosa (In Memoriam), Dona Nina (de Abelito), Seny Magalhães Prates, Celeodiva Cardoso, Eulina Magdalena Cardoso, Senhor Zezé, Dr. Delson (Codevasf), Sr. Bertinho, Acervo do Santuário da Lapa, Uelder Negrão, José Camilo, José Duarte, Elton Paz, Rocha Produções.

Equipe Técnica

Atores Participantes Do Projeto Lapa de Fé e Tradições, Saberes e Fazeres da Cultura na Cidade de Bom Jesus da Lapa, Celeiro de De Grandes Artistas.

Carla Cristina Nunes

COORDENAÇÃO DO PROJETO

Hairton Gonçalves

Áudio off

Elton Paz

FILMAGEM E EDITOR

Idéia Áudio Visual

FILAMAGEM E FOTOGRAFIA

Jorge Albuquerque De Oliveira

PRODUTOR GERAL

Marta Campos

MAQUIAGEM

Péricles Itamar Cardoso

ESCRITOR, DIRETOR E ROTERISTA

João Paulo Lelis Pereira

PRODUTOR COLABORATIVO LOCAL

Rafaela Gomez

MAQUIAGEM

Laira Farliane Borges

ASSISTENTE DE PRODUÇÃO

Negro D'Água Produções

EMPRESA CULTURAL COLABORADORA

Apoiadores Locais

Carlos Antônio Jesus Divino, Pe. João, Pe. William, Valter Damásio, Railcton Ramos, Fotoestrela Produções, Diva Lelles, Maria Regina Tanajura, Moisés Barbosa, Babalorixá Suzi, Babalorixá Delaveiga, Simone Endler, Sandra Lelles e Fabiana Silva.

Atores Participantes

Numa equipe de teatro, cada função é essencial. Desde o roteiro até a finalização, a junção e organização das funções fazem um documentario completo.

Black Jassy

Apresentadora, Narradora e Mãe D’Água

Pisit Mota

APRESENTADOR e NARRADOR

Mirley Nunes

Romeiro, Bandeirante

Maria Rita

Índia, Carta aos Romeiros

Otaviano Moreira

Romeiro, Bandeirante

Carlos Antônio de Jesus Divino

CARETA

Nando Fernandez

Romeiro e Pescador

João Victor de Sá

Romeiro, Estrela do Terno das Borboletas

Joilson Barbosa

Índio, Escravo amigo do Monge

Laira Farliane Borges

Lavadeira, Romeira, Escrava do Monge, Maria das Cabaças

Leninha Ribeiro

Lavadeiras, Escrava do Monge, Romeira terço

Leticia Tanajura

Dama do Terno das Borboletas

Kamarisi Silva

Terno das Borboletas / Filha da lavadeira

Margareth Nunes

Escrava e Romeira

Marília Viana

India

Meire Marques

Lavadeira, Negra do Gruta, Romeira

Sofia Ribeiro

Terno das borboletas /Filha da lavadeira

Victoria Amorim

Divina Graça, Cabocla, Cigana e Romeira

Suzani Dias

Lavadeira, Romeira

Valdecy Gomes

Romeira, Lavadeira

Valter Lima

Bandeirante, Romeiro

Veko Araújo

Lamentador de Almas / Vaqueiro

Warley César

Escravo amigo do Monge/Romeiro

Caique Antônio

Romeiro, Feitor

Mineli Kennedy

Cantora, Escrava, Lavadeira e Romeira

Gilberto de Jesus Santos

Pe. Francisco Mendonça Mar (Monge), Carta aos Romeiros

Paulo Araújo

Cancioneiro do Velho chico

Kamarisi Silva

Terno das Borboletas / Filha da lavadeira

Melissa Silva

TERNO DAS BORBOLETAS

Pérola Luize (IN-MEMORIA)

Maria Fedor, Cabocla, Romeira e Índia

Grupos Culturais

Grupos Culturais de Bom Jesus da Lapa, Preservando a Memória e Salvaguardando o Patrimônio Artístico e Cultural Lapense.